13 de agosto de 2014

ADELINO PACHELLE/ A MORTE

IMAGEM WEB

Hoje faz 14 dias que meu querido e amado pai partiu desse mundo cruel. Depois de 18 dias hospitalizado, com doença pulmonar aguda, ele se foi, no momento em que eu chegava para visita no hospital São Vicente de Paula em Jundiaí SP.

Deixo aqui registrado para todo o sempre, toda a minha tristeza, a incapacidade de aceitar e entender como que um homem tão honesto e honrado pôde ter um fim tão triste.

Tudo que aconteceu no dia 30/07/2014 após o sua passagem são amarguras que jamais esquecerei, coisas que nunca pensei a sua esposa Rosalina fosse capaz de fazer, começando por assinar um termo de responsabilidade e fazendo uma pessoa estranha de nome Regina Célia, se passar como familiar de meu pai. Documento esse que somente eu e minha irmã poderíamos ter assinado, pois, tratava-se de reanimá-lo ou não caso houvesse parada cardio respiratória. De fato não houve, a médica responsável me informou isso no momento em que o mesmo já estava morto.

Passamos o dia de sua morte desde as 17 horas da tarde, até o dia posterior apenas eu e meu filho Ricardo velando seu corpo, sozinhos, até as 11:30 do dia de seu sepultamento que se daria as 13 horas do dia 31/07/2014. Para meu espanto e contrariedade a esposa dele mandou o corpo para o crematório da Vila Alpina, em São Paulo, não me dando mais notícia, seguindo viagem para MARÍLIA SP onde reside sua filha ANGELICA BOCCA ROSSI.

Foi uma noite fria demais, e apenas uma sobrinha nos ofereceu a casa para descansar, mas agradecemos e não abandonamos meu pai ali a sós, pois essa era a última vez que eu poderia dizer o tempo todo o QUANTO O AMO, E AMAREI PARA SEMPRE.

Até um dia na eternidade meu querido pai, se assim DEUS NOS PERMITIR.

Sua filha sonia.

13/08/2014
Postar um comentário