2 de julho de 2013

A GLORIA

imagem web

Algo mágico acontece ao espírito humano, uma sensação de calma nos invade, quando não mais precisamos de toda a atenção voltada para nós e conseguimos deixar a GLORIA para os outros.

O nosso EGOCENTRISMO faz com que sentimos uma necessidade de atenção, como: “Olhe para mim”, “Sou especial”, “Minha história é mais interessantes que a sua.”

Essa é a nossa voz interior que nos inspira a pensar que as nossas realizações são melhores do que as dos outros. Seria o nosso EGO, a parte  que deseja ser vista, ouvida, respeitada, considerada especial, e muitas vezes até interrompe uma conversa na qual alguém esteja contando a SUA HISTÓRIA.

Quando isso acontece sutilmente diminui a alegria que se tem em partilhar, e aumenta a distancia entre você e outras pessoas, e aí todos saem perdendo.

Embora seja difícil de praticar seria altamente satisfatório sermos capazes de ter calma, confiança e abdicar da necessidade de atenções, e observando os outros perceber quanta alegria pode existir na GLORIA DO OUTRO.

Ao invés de dizer: “eu também já fiz ou tive isso”, diga: “conte mais, isso é muito interessante” e assim as pessoas terão muito mais prazer de interagir com você.

Dessa forma podemos ainda conseguir uma PAZ MENTAL adquirindo a capacidade de viver o momento presente, independente do que aconteceu ontem, ano passado, ou ainda o possa a vir nos acontecer no futuro.

Muitas vezes aprendemos a arte neurótica de perder as nossas vidas nos preocupando com tudo ao mesmo tempo, deixando problemas passamos ou preocupações futuras ocupar a nossa mente, nos tornando ansiosos, frustrados, deprimidos e até desesperançados.

Agindo assim, deixamos nossa satisfação, prioridades, felicidade de lado, nos convencendo de que “algum dia” será melhor que hoje. John Lennon disse: “A vida é algo que acontece enquanto estamos ocupados fazendo outros planos”. Quando nos preocupamos com “outros planos” nossos amigos estão felizes, vivendo, amando, e outras pessoas que amamos podem estar mudando, morrendo, e nosso sonhos se evanescendo.

Ou seja, não estamos usufruindo da nossa vida.
‘AGORA’ é o Único momento que temos.

Sonia.



Postar um comentário