12 de março de 2011

> > DEIXANDO A CRISE PASSAR

web
Diante de tantas notícias arrasadoras logo no início do ano, creio que a minha crise existencial não é grave, e lembrei que alguém me disse: "Quando tiver um problemão, dissolva-o em pequenos problemas, e procura calmamente resolver um de cada vez...

Nada está em perfeita ordem, aliás, está tudo em tremenda desordem.

A reflexão me levou a reconhecer erros irreparáveis, situações não resolvidas, histórias mal acabadas...

Mas, diante da tragédia do Japão onde o repórter narra: Ondas de mais de tres metros de altura, arrastando carros, casas, embarcações, tudo misturado e entre essa desgraça toda, dá para ver alguém desesperado dentro de um carro gritando..

É difícil ficar alheia ao desespero das pessoas envolvidas nesse acidente avassalador.

Ouvi declarações de cientistas, geólogos, que desde o ano de 1500, 1700, já havia tsunamis e nessas duas épocas, as mortes chegaram a 200/300 mil pessoas.

Explosão de usina nuclear...

Ameaça iminente de contaminação de grande proporção, isso é grave. Em outras situações como a de Tchernobil, pessoas sofriam decomposição em vida. Que coisa triste... Imagine um ser humano se decompondo vivo...

Eu que conheco bem uma UTI e os sofrimentos que levam o homem a exaustão, a um estado de doença tão grave que não há mais nada a fazer para minimizar o sofrimento e a dor...

É um sofrimento ímpar, só quem passa ou vê é que consegue avaliar quanto essa dor, como dói...
Somos seres vulneráveis!

O clima tem mudado a cada ano, com muito calor, chuvas, desmoronamentos. Parece que a atmosfera está bagunçada. Ou melhor o homem "bagunçou" a Natureza e ela reagiu...

Como estará esse mundo daqui uns 30 anos? Creio que não saberemos dessa resposta, ficará para nossos filhos...

abraços,

sonia.
Postar um comentário