18 de setembro de 2011

>> ENFERMAGEM / HOSPITAIS// UBSs

web

A IMPORTÂNCIA DA ENFERMAGEM

Qualquer que seja o procedimento de enfermagem a ser prestado ao paciente e/ou usário, (principalmente SUS-DEPENDENTE, os profissões estão sempre atentos para que não ocorra em hipótese nenhuma um êrro, tanto no preparo como na administração de medicações: injetáveis, oral, curativos, retiradas de pontos, e outros tantos.

Todos os funcionários dos hospitais, já aprenderam que é preciso conferir atentamente o procedimento a ser feito:

1) medicamento certo
2) dose certa
3) paciente certo
4) via de administração correta.

DA OCORRÊNCIA DE ERROS.
Cada vez mais nos deparamos com notícias lamentáveis de pacientes que foram a óbitos em razão de administração de medicamentos errados.

DA ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO

Tanto em hospitais particulares, porém, com maior incidência nos públicos, a organização e distribuições de serviços são bastante inadequadas, tornando mais difícil a tarefa dos profissionais.

Aqui na cidade de Campinas, a carga horária semanal é de 36 horas, ou seja, 07 horas e doze minutos por dia para quem está nas UBSS, (de segunda a sexta feira, folgando nos finais de semana, e feriados/pontos facultativos. Nos hospitais a carga horária e igual, porem, cumprem esse horário trabalhando com seis horas diárias, tendo 07 folgas mensais, incluindo sábados, domingos, feriados, pontos facultativos.


Aos sábados recebem um acréscimo de 30% a hora trabalhada, nos domingos e feriados 50/ pontos facultativos não recebem nenhum acréscimo.

DA FALTA DE RECURSOS HUMANOS

O profissional que esta nos hospitais, cumpre sua jornada, e pela falta de mão de obra no período seguinte, e convidado pela chefia a dobrar sua carga horária.

Os trabalhadores de enfermagem são tão explorados que tem apenas 15 minutos para tomar o café da manha, e almoçar ou jantar somente apos o termina da jornada.
Vale dizer, que assim como os professores, perderam também o respeito e a defasagem salarial, por parte das instituições publicas. ( ou privadas )


DA FALTA DE MEDICACOES E MATERIAIS

As prefeituras em sua maioria são mal administradas, principalmente nos almoxarifados de distribuicoes de medicações e materiais.

Muitas vezes a receita medica não contem medicamentos distribuídos nos próprios hospitais, ou Centros de Saúde (UBSs).
Torna-se necessario o profissional ir ate o consultório medico, e solicitar a substituição, isso demanda em mais trabalho, e muitas vezes ate indisposição do profissional medico, que por sua vez já esta trabalhando ate 24 horas na Instituição.

O mesmo ocorre com materiais de enfermagem, higiene, e limpeza. Falta para o trabalhador sabonete liquido para lavar as mãos, papel toalha e higiênico, isso gera inquietação pois muitas vezes tem que ir para outro setor a procura de material.

DAS RAZOES DAS HORAS EXTRAS

E claro que a incidência constante de horas extras para o trabalhador, gera um stress e cansaços importantes, porem, de outro angulo o mesmo acostuma a receber seu salário com horas extras, e nesse caso passa a contar com o salário melhorado para sempre.


DAS CONSEQUENCIAS

Trabalhar stressado por excesso de trabalho, salário de fome, ter que fazer horas extras, muitas vezes passar ate fome ou deixar de fazer suas necessidades fisiológicas, gera os ERROS.


DOS ERROS

Errar e humano, mas inadmissível na área de saúde, isso mata o paciente, e o profissional também, ninguém de sã consciência conseguiria dormir em paz depois de cometer um erro fatal.


COMO NAO HAVER ERROS
1) Recursos humanos suficientes para a demanda do local.
2) Salario melhorado ou ate diferenciado.
3) Redução da carga horária para 30 horas semanais.
4) Ambiente de trabalho adequado
5) Disponibilizarão de medicamentos e materiais necessários para a área.

DAS PROVIDENCIAS

Aqui nessa cidade posso dizer com a experiência que tenho que nenhuma providencia vem sendo tomada nos últimos 15 anos. Sempre trabalhei com déficit de recursos humanos, medicamentos e materiais.
Muitas vezes o paciente não consegue ter o medicamento na UBSs apos a sua liberação do hospital, e não tendo dinheiro para comprar, acaba ficando sem tomar. Adoece outra vez.


DO DESCASO

Muitos pacientes recorrem aos Prontos Socorros hospitalares por dificuldade de atendimento medico na rede publica, principalmente nos primeiros atendimentos, pois, são obrigados a apresentar uma conta de luz em seu nome para provar o endereço. Não o tendo, tem que aguardar a visita do Agente de Saúde que ira em sua cada efetuar o CADASTRO.

Outros pacientes crônicos, como cardiopatias, demoram tanto a recebem a atenção a saúde que chegam ao Pronto Socorro e morrem nas salas de espera.

Ninguem comete erros conscientemente dentro de um local onde trata de pacientes, assim como o objeto e curar e nao matar. Para isso estao ali.

Essa e a triste historia da enfermagem nessa cidade, no Pais das Maravilhas.

sonia

Postar um comentário