20 de setembro de 2011

>> PROFISSÕES E DECEPÇÕES/ UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE.

arquivo
Todos nós escolhemos a nossa profissão, ou algumas pessoas nem tem a oportunidade de escolher: fazem o que lhes é oferecido, pois, é preciso trabalhar muito, pagar caríssimos impostos, e sobreviver.

Mas a escolha da profissão é uma responsabilidade que vai nos custar a tranquilidade ou não, quando a velhice chegar. Nós humanos somos assim, viemos ao mundo, crescemos, trabalhamos demais, aposentamos por um vergonhoso salário de fome, e terminamos nossos dias em penúria.

Penúria emocional inclusive, a pior doença mental do ser humano. Estou vivenciando a pior fase de minha vida, por isso eu dizia que não queria viver para "semente", preferia morrer trabalhando, sem antes mesmo de me aposentar.

Veja como é triste isso: Optei após 14 anos de trabalho no setor administrativo em multinacional, ganhando bem, graduada, a mudar a direção da minha função, e fui estudar "enfermagem", prestei um concurso público e sou funcionária efetiva municipal, agora já completando mais 16 longos anos de dedicação a população SUS DEPENDENTES.

Depois dos gestores que passaram pela UBS onde trabalhei esses anos todos, apareceu uma em especial que foi encarregada de "renovar" o quadro de funcionários: ou seja, botar os que tem mais idade para correr...

E assim foi, conseguiu me afastar por 6 meses, alegando dificuldades de relacionamento(com ela) que faz uso e abuso do seu poder, causando assédio e constrangimentos aos funcionários.

Ela simplesmente "acabou com a minha vida"; de funcionária atenciosa e eficiente, passei a doente mental, vovozinha, louca, e outros tantos adjetivos que não estou conseguindo mais colocação em nenhum lugar dentro do Hospital Municipal, ou nas UBSs.

E as pessoas acham ainda que eu preciso ter paciencia e esperar que aconteça um "milagre" e alguém me ofereça uma colocação decente.

Hoje fiquei sabendo que uma grande amiga que deu a vida no SAMU, está fazendo radio e quimioterapia por câncer de bexiga, olha como isso é triste... trabalhar tanto e acabar com uma doença dessa?

A maioria dos funcionários públicos da área da saúde acabam assim mesmo, outra, está com mieloma disseminado, seus ossos parecem vidros, não pode andar, nem sequer se mexer, está totalmente dependente.

Bom assim como todos envelhecem, essas mesmas pessoas que hoje pisam em mim, serão com certeza pisadas por alguém lá na frente... Aí é que elas sentirão quanto "queima" pimenta nos olhos dos outros.

Eu tenho a dizer que as pessoas devem aproveitar enquanto são jovens a pensar na velhice, e na segurança financeira, porque funcionário público além de ser mal pagos, são desprezados, enxovalhados de seus locais de trabalho, e não sobra nada.

Certo fez meu pai, trabalhou por conta própria, construiu uma boa casa para morar com a esposa, ganha um salário que é suficiente para viver tranquilo. Ah pagou também a aposentadoria programada em um banco confiável.

Não é fácil. Eu fui para o fundo do poço.

sonia.

Postar um comentário