3 de setembro de 2011

>> ANTIINFLAMATÓRIOS / ANVISA

web

A "ANVISA" (Agencia Nacional de Vigilância Sanitária), que controla a venda de certos medicamentos, está agora, regulamentando a venda de ANTIINFLAMATÓRIOS. Esses medicamentos são utilizados pela maioria da população quando não conseguem atendimento médico nas UBS (UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE), e compram nas farmácias sem necessidade de Receita Médica.

Servem para diversos tipos de patologias que causam dores, como a maioria da população sofre mais ou menos das mesmas coisas das pessoas comuns que trabalham muito, como dores de coluna, dentes, cabeça, articulações, e até torção de pés. Porém a maioria das pessoas comuns não tem informação para que servem cada um deles, e seus efeitos benéficos ou não. Então vamos resumir para descomplicar.

Antiflamatorios Hormonais

Também chamados esteróides são derivados de cortisona(corticóides) capazes de controlar e/ou desacelerar o processo inflamatório. Quando usados sem controle médico podem causar a Síndrome de Cushing, cujo principal sintoma é a redistribuição de gorduras pelo corpo, o apetite aumenta e a força física/muscular diminui sensivelmente.

O sintomas mais comuns da síndrome de Cushing podem incluir: * Obesidade na parte superior do corpo, face e pescoço redondos, e braços e pernas finos. * Taxa de crescimento baixa em crianças. * Problemas de pele, como acne. * Pressão alta. * Fraqueza óssea e muscular. * Irritabilidade ou depressão. * Taxa de açúcar no sangue alta.

ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO HORMONAIS

Conhecidos ainda como não-esteróides, atuam basicamente como analgésicos, já que são derivados do ácido acetilsalicílico. Há mais de 20 tipos de antiinflamatórios não-hormonais, entre eles o diclofenaco, o ibuprofeno e o piroxicam. Mas, usados sem critério, podem levar à síndrome de Reye, uma condição rara capaz de causar disfunção hepática e até morte.

A síndrome de Reye é uma doença grave, de rápida progressão e muitas vezes fatal, que acomete o cérebro e o fígado, ocorre em crianças e está relacionada ao uso de salicilatos em conjunto com uma infecção viral. A Síndrome de Reye é caracterizada por um quadro viral, como gripe ou catapora.

É correto, certo, controlar medicamentos, mas a ANVISA, precisa saber que nessa nova gestão de atendimento nas UBSs, está cada vez mais difícil uma consulta médica. Acredito que não é necessário dissertar sobre o atendimento a que me refiro, mas reforçar é bom: " O paciente que chega na UBS passa inicialmente por um "Acolhimento" que é feito por um funcionário auxiliar que não tendo autonomia para deliberar o tratamento, encaminha para outro profissional, dessa vez tem ser um enfermeiro(a), que ouvirá a queixa novamente e verificará as agendas dos clínicos gerais. Havendo horário reservado para "demanda espontânea" o paciente é "encaixado em consulta". Caso não tenha essa possibilidade é "aconselhado a procurar o PRONTO SOCORRO".

Por esses motivos os PRONTOS SOCORROS estão sempre SUPER LOTADOS, e a demora no atendimento é longa. O paciente já está sofrendo com a dor, o "descaso", vai direto a uma fármacia, pois, como não seria a primeira vez a passar por esse calvário já sabe qual remédio tomou na vez anterior.

E não adianta ninguém querer colocar PANOS QUENTES e dizer que não é assim, porque estou há muitos anos na equipe de enfermagem: é exatamente assim, eu mesma já precisei de atendimento médico, trabalhei doente por vários dias, e ouvi do gestor do meu trabalho: "Sinto muito, nada posso fazer, voce e qualquer usuário é a mesma coisa".

Claro que sou, eu sei disso, mas no mínimo há de convir a necessidade de um atendimento decente, humanizado, para todos, pois o nosso convenio SUS DEPENDENTE é bem mais caro do quer qualquer outro particular.

Então ANVISA: é extremamente necessário cuidar também da BASE NO ATENDIMENTO.
Postar um comentário