3 de junho de 2012

ABISMO

O que viria a ser um abismo? Literalmente creio que um "buraco profundo", talvez escuro e sem um raio de luz, de onde dificilmente houvesse uma possibilidade de retorno. Ou quem sabe o limite entre o espaço e tempo, altura e perigo, ou simplesmente, o medo do desconhecido, de cair e não ter a coragem de se levantar, e até mesmo, o medo de alturas. E na pior das hipóteses a idéia de pular para dentro de um espaço vazio, e onde não retornasse jamais. O medo de viver os momentos, as circunstancias, e as escolhas. web

Mas o que viria a ser um ABISMO EMOCIONAL?  Creio que todo pensamento que já passou pela nossa mente, emoções agradáveis ou não, percepções, julgamentos, aprendizados, treinamentos ou programações que recebemos esteja adormecido em nosso interior emocional. São os nossos bichos emocionais. 

Alguns mordem, outros soluçam ou ladram,  mas todos tem um papel nas formas como agimos ou reagimos as circunstancias dos nossos problemas, dúvidas, o medo do desconhecido.

Alimentamos esses cães com as realidades internas da mente, emoções e espírito, mas ao mesmo tempo eles foram alimentados com a nossa realidade externa> alimentação é combustível > a natureza do combustível e nossas realidades internas ou externas combinadas com os fatos reais, determina se estamos criando um pit bull ou um doce poodle. 

O medo é um Pit Bull, quando temos medo de não ser ouvido, reconhecido, ou não importante ou de não ter importância, revela que o nosso sentimento é de orgulho ferido e está sempre em nossas ações e reações. 

O nosso instinto de defesa grita > pensam que sou um derrotado! E sua voz orgulhosa no fundo de sua mente ainda lhe sugere: "Quem ele(a) pensa que é? Não pode me tratar assim! Mostrarei quem sou!

Porém em outros aspectos o seu orgulho pode se calar sem fornecer indicações do que deve ser feito, sem nenhum apoio interno ou aprovação. Esse silencio com certeza é mais aterrador do que ser provocado e agir.

É certo que  quando o "medo" domina, o "ego" entra em cena > sim esse "ego" é um anjo de asas escuras que como um cão raivoso nos sugere mensagens conflitantes trazendo a nosso mente em poucos segundos as experiencia passadas que nos humilharam e constrangeram > nos lembrando quem humilhou, desprezou, ou atingiu sem nos dar chance de revidar. 

O cão emocional vai acordar e começar a latir. Voce vai lembrar de quantas vezes esteve morrendo de medo e inseguro, e que pediu ajuda, mas riram e abandonaram voce sem ouvi-lo, essa lembrança dolorosa irá direto a sua mente, fazendo com que voce se feche ou ataque. 

Em resposta a um cachorro latindo na sua cabeça voce pode se tornar violento ou não, e quem chegar bem perto de voce, saberá qual é o cão que existe em voce porque o seu comportamento irá refletir o comportamento dele, rosnar, latir ou morder... ou simplesmente ignorar, dar meia volta, e deixar ficar.

A psique humana é capaz de suportar muitas coisas antes de procurar uma saída para a dor ou conflito, ou o caminho imaginário do seu "abismo". 

Nesses conflitos internos é necessário ativar a energia espiritual, voce é que tem que dar espaço para que a energia da sua divindade (seu espírito é parte do Espírito Divino) e assumir a direção. Voce tem que se dispor a entrar em um processo de auto-critica, analisando-se e submetendo seus pensamentos e sentimentos à aplicação de princípios espirituais.

O processo espiritual acontece dentro do seu "eu" e não deve parar enquanto voce não superar as suas dúvidas, pois a partir de um consenso consciente voce conquistará uma estrutura que lhe permitirá viver de maneira pacífica, generosa, poderosa, e isso é a chave para a liberdade. Estará liberto das paredes da prisão que construiu em seu coração e mente, em resposta a todas as experiencias que lhe formaram e condicionaram. 

Os princípios espirituais nos dão o poder para destruir todos os conceitos e teorias que criaram e criam a dor e o conflito porque passamos e para reconstruir uma vida dentro do nosso "eu".

Construir uma nova vida, sem medos e conscientes de que somos capazes de modificar os nossos abismos sem ter que necessariamente cair dentro deles. 

A partir daí nós compreendemos que nosso medos são imaginários, porque tudo nessa vida tem uma solução, menos a morte, da qual nesse momento não estamos falando sobre ela.

Caminha, aprende, ensina, suporta, tolera, o e seu abismo deixará de existir. Apenas permita-se a ser feliz.  

Texto sonia. 
Bibliografia: Leituras sobre a psique humana. 
Postar um comentário