20 de junho de 2013

ENTRE A VIDA E A MORTE

imagem web

Hoje penso que passei uma boa parte da vida sem conhecer o outro lado da vida: daqueles que estão entre a vida e a morte.

Somente observando a vulnerabilidade humana diante de uma doença, de um procedimento cirúrgico que por mais experiente que seja o profissional é sempre uma caixinha de surpresa > tomei atento quanto a minha vida foi boa até agora, meu pai já idoso com 93 anos, muito saudável, e eu raramente tenho problemas de saúde.

Mas a quantidade de gente que precisa de tratamento médico especializado é uma demanda muito grande nessa cidade de Campinas SP Brasil, pois para aqui vem pessoas de cidades vizinhas, e até mesmo de outros Estados.

Olhando a vida por esse âmbito, posso dizer que sou muito feliz! Tenho tudo que preciso, posso viver com a tranquilidade de um emprego seguro, e a consciência tranquila de ter feito sempre o melhor possível na minha área de atuação > enfermagem. 

Dessa forma de que mais eu preciso para estar feliz? Tenho bons amigos e amigas de trabalho, gosto do que eu posso fazer pelas pessoas mais necessitadas, e cumpro fielmente minhas obrigações.

Porém, precisei a aprender a trabalhar com a possibilidade de ver pessoas ENTRE A VIDA E A MORTE.

Sonia. 




Postar um comentário