4 de abril de 2011

>> D E N G U E // PODE SER FATAL

web
Eu acredito que uma criança de ensino fundamental sabe o que é dengue, quais são os sintomas da doença, e melhor ainda, como não proliferar o mosquito causador da dengue: Aedes Aegypti.

Essa é uma doença muito comentada nas escolas, as crianças sabem explicar direitinho como prevenir a dengue.

Mas alguns médicos plantonistas dos Prontos Socorros desse imenso país "gigante pela própria natureza, belo, forte, impávido e colosso", não sabem sequer em que dia é correto colher sangue para sorologia para dengue: é no sétimo dia contados desde o primeiro dia dos sintomas. Se colher sangue antes desses 7 dias, pode dar um resultado falso negativo.

Além disso é obrigação do médico preencher um formulário que se chama SINAN
Sistema de Informação de Agravos de Notificação Sua utilização efetiva permite a realização do diagnóstico dinâmico da ocorrência de um evento na população; podendo fornecer subsídios para explicações causais dos agravos de notificação compulsória, além de vir a indicar riscos aos quais as pessoas estão sujeitas, contribuindo assim, para a identificação da realidade epidemiológica de determinada área geográfica.

A Dengue é uma virose, ou seja, uma doença causada por vírus; é transmitido para uma pessoa através da picada da fêmea contaminada do mosquito Aedes Aegypti.

Tipos da doença e sintomas

A doença pode se manifestar de duas formas: a dengue clássica e a dengue hemorrágica.

Dengue Clássica: os sintomas são mais brandos. A pessoa doente tem febre alta, dores de cabeça, nas costas e na região atrás dos olhos. A febre começa a ceder a partir do quinto dia e os sintomas, a partir do décimo dia. Neste caso, dificilmente acontecem complicações, porém alguns doentes podem apresentar hemorragias leves na boca e nariz.

Dengue hemorrágica (ocorre quando a pessoa pega a doença por uma segunda vez): neste caso manifesta-se de forma mais grave. Nos primeiros cinco dias os sintomas são semelhantes ao do tipo clássico. Porém, a partir do quinto dia, alguns doentes podem apresentar hemorragias em vários órgãos e choque circulatório.

Pode ocorrer também vômitos, tontura, dificuldades de respiração, dores abdominais intensas e contínuas e presença de sangue nas fezes. Não ocorrendo acompanhamento médico e tratamento adequado, o paciente pode falecer.

No verão essa doença faz uma quantidade maior de vítimas, pois o mosquito transmissor encontra ótimas condições de reprodução. devido as altas temperaturas e a grande quantidade de chuvas, aumenta e melhora o habitat ideal para a reprodução do Aedes Aegypti: a água parada. Lata, pneus, vasos de plantas, caixas d’água e outros locais deste tipo são usados para fêmea depositar seus ovos.


Outro fator que faz das grandes cidades locais preferidos deste tipo de mosquito é a grande quantidade de seu principal alimento: o sangue humano.


Todos os hospitais tem um médico infectologista responsável pelo Setor de Vigilancia Epidemiológica; é esse profissional que determina o critério de trabalho e notificações.


Mas na verdade pode repetir todos os dias a mesma conduta a ser tomada que os plantonistas não fazem o certo de jeito nenhum, sempre tem alguma coisa errada, ou não notificam, ou mandam colher o sangue na data errada.


E quem perde, sofre, e até morre por isso é o paciente SUS DEPENDENTE.


sonia.









Postar um comentário