30 de dezembro de 2012

COREM CAMPINAS SP


CRISE NA SAÚDE / CAMPINAS SP.


Conforme publicação no Jornal Correio Popular, na Câmara de Campinas em 28/12, os vereadores aprovaram o PROJETO DE ALTERAÇÃO DO PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS DA PREFEITURA, no item que trata da contratação de médicos para a rede pública de saúde  - em especial o clínico geral e o médico da família.

Segundo informações do Executivo que encaminhou a proposta há falta desses médicos na rede básica de saúde, e para estimular o preenchimento de vagas a Prefeitura poderá contratar médicos sem a exigência de residência médica.

No último CONCURSO PÚBLICO MUNICIPAL PARA MÉDICOS, foram oferecidas 60 vagas, porém, apenas 25 médicos prestaram a prova, e somente seis deles se interessaram em ocupar os cargos.

Para resumir o que está ruim e doente é o PRÓPRIO SERVIÇO DE SAUDE. Se com médicos atualmente qualificados com residência médica os usuários estão a mercê de erros e barbáries, imagine o que vai acontecer com atendimento médico sem qualificação!

Uma mulher de apenas 28 anos, ficou um ano tratando lesão de pele no Centro Saúde Santa Lucia, e não suportando mais dores no peito e costas foi para no Pronto Socorro do Hospital > ficou constatado após uma tomografia feito no mesmo dia dentro do hospital, que a moça tinha era TUMOR.

Passou por uma grande cirurgia, e constatou tratar-se de TUMOR MALIGNO.

E para ser bem objetiva os dirigentes da Saúde estão metendo os pés pelas mãos, haja vista o que está acontecendo no Hospital Municipal Dr. Mario Gatti  > a direção está substituindo 17 funcionários do CENTRO CIRÚRGICO, que estão atuando na área há mais de 10 anos.

Todos sem nenhuma exceção são experientes, pontuais, possuem o curso TÉCNICO DE ENFERMAGEM, porém, são funcionários efetivos Auxiliares de Enfermagem. 

Se houvesse VONTADE POLÍTICA nesse caso sim, poderiam ALTERAR O PLANO DE CARGOS, e esses funcionários poderiam prestar um CONCURSO SELETIVO INTERNO, ou simplesmente assumiriam a função de técnico automaticamente.

Mas não é isso que está preocupando, quem vem assumir essas funções são pessoas que passaram no último concurso para técnicos de enfermagem, mas não tem NENHUMA EXPERIENCIA EM CENTRO CIRÚRGICO  É necessário pelo menos SEIS MESES de treinamento para começarem a conhecer mais ou menos toda a rotina do trabalho.

Resumindo, quem deu o couro, o sangue pelo trabalho todos esses anos, estão literalmente levando um pé no traseiro, sendo transferidos para outros setores para dar lugar a outros que não sabem trabalhar. O curso TÉCNICO DE ENFERMAGEM FOI UMA EXIGÊNCIA DO COREM, ALEGANDO QUE A FUNÇÃO DE AUXILIARES SERIA EXTINTA.

É uma crise? Não é um desmando total! Uma tremenda falta de humanidade, consideração, e desprezo aos profissionais, jogando-os para fora como cachorros sem donos.

Como é que pode mexer no PLANO DE CARGOS PARA FAVORECER MÉDICOS SEM RESIDENCIA MÉDICA, E NÃO PODEM FAZER NADA PELA EQUIPE DE ENFERMAGEM QUE CARREGA O HOSPITAL NAS COSTAS?

Como é que médico pode atender e prescrever medicamento sem residencia médica, e funcionários de enfermagem experientes são jogados para qualquer outro departamento para dar SEU LUGAR A OUTROS QUE NÃO SABE TRABALHAR? AFINAL CENTRO CIRÚRGICO TRABALHA INTENSAMENTE COM A VIDA OU A MORTE? 

PARA QUE SERVE O COREM?

A equipe de enfermagem sempre foi a classe mais PREJUDICADA PELO PLANO DE CARGOS DA PREFEITURA. Muita gente fez sacrifício para conquistar seu diploma de técnico de enfermagem, e acabou ficando guardado na gaveta, consequência de PLANO DE CARGOS injusto, mal elaborado.

COREM! SOCORRO A EQUIPE DE ENFERMAGEM ESTÁ MORRENDO. 

Que me responda quem souber!



Postar um comentário