12 de maio de 2009

> Município de AREADO - MG

Vista parcial
Igreja
Santa Casa

O ESTADO DE MINAS GERAIS desde as épocas da POLÍTICA DO CAFÉ COM LEITE é o maior estado produtor de café no Brasil. Em viagem de turismo com destino definido para AREADO MG, iniciamos nossa viagem, eu e o meu amigo, fotografamos várias localidades.

Até chegarmos nessa cidade maravilhosa pela ótima conservação das estradas mineiras, "que não cobram pedágio", porém, não são esburacadas, pelo contrário, muito bem conservadas, sinalizadas, uma verdadeira bênção de tráfego, digno, de outros governadores contratarem algum engenheiro de tráfego mineiro, para consertar as nossas estradas paulistas, com inúmeros pedágios, e buracos a perder de vista.

Mas, voltando a AREADO MG, logo que adentramos a cidade comentei com meu amigo: "Ora veja só, que cidade linda, pare aí, quero uma fotografia da Igreja, da praça, viu como aqui não tem pichações?" "é mesmo, disse-me ele, você viu o que é uma cidade com consciencia de cidadania?"

Procuramos um alojamento, e fomos visitar um amigo conhecido por "CHICÃO" no Distrito de Juréia, Município de Monte Belo, onde fomos muito bem recebidos, apesar do longo tempo que não nos via. Fomos convidados para um almoço com políticos de Brasília e da região no dia seguinte.

Lá nos encontramos com a vereadora Sra. "OSMARINA MARIA APARECIDA DE MORAES ROCHA' (Vice presidente da Câmara) e Funcionária do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Monte Belo (Cidade vizinha)

Sra Osmarina falou sobre as reivindicações dos trabalhadores rurais, pois existe Lei Federal que proíbe o transporte por caminhão, então se torna necessário a compra de ônibus no município para esse

transporte.

Procurei então o atual Prefeito da cidade de AREADO MG Sr. Antonio Higino, que me explicou que a prefeitura está tomando todas as providências para que este pedido seja atendido o mais rápido possível.

Foi um encontro informal, muito agradável e proveitoso para atualizar-se com a demanda da cidade maravilhosa. Quer paz? Sossego? Boa acolhida? Então vai você e sua família passear por lá. Garanto que tudo é muito bom.

Na cidade de Areado, reside a Senhora GORETE, com a qual não conseguimos, ainda fazer contato, porém, sei por informações de moradores que a mesma guarda inúmeras peças e arquivos de eventos da cidade desde a sua formação. Gostaria de deixar aqui os nossos agradecimentos pela gentil acolhida, e aguardem, estamos a caminho novamente. Abraços aos mineiros Areadenses, e parabéns pela cidade maravilhosa.

Primitivos Habitantes

"A povoação foi fundada em 25 de abril de 1823 pelo Guarda-Mor Joaquim José da Cunha Bastos, juntamente com Antônio dos Reis Rosa e João Marques de Araújo, sendo esses dois últimos os doadores da área de aproximadamente 500 hectares, que constituiram o patrimônio inicial do povoado. Neste dia foi celebrada a primeira missa pelo Padre Venâncio José Siqueira e essa data ficou registrada como de fundação da cidade, àquela época chamada Povoado de São Sebastião de Areado.

Em 1823, ainda, com a abertura de uma clareira em plena mata densa, foi construída por Joaquim da Cunha Bastos, a Capela dedicada a São Sebastião, primeiro marco do início da futura cidade de Areado.

Em 1859, Dom Antônio de Melo, Bispo de São Paulo, elevou a Capela a Curato, sendo canonicamente provida doze anos depois, em 1871. Ainda nesse mesmo ano, o Curato foi elevado a Freguesia, tendo assim permanecido até 1911, quando passou à Vila, com o nome de Vila Gomes, desmembrando-se de Alfenas.

De 1871 a 1911, período em que foi freguesia, destacou-se a figura do Padre Antônio Mariano Pimentel, seu Vigário e principal responsável pelo desenvolvimento verificado no povoado.

Em 1870 eram calculados em 700 os habitantes da comunidade. Daí por diante, o seu crescimento foi constante até 1930, quando a emigração fez a reduzir o crescimento demográfico.

A agricultura fixou os recém chegados ao solo assim que a mata foi derrubada. Experiências se fizeram, então, do plantio do trigo e centeio. Considerável êxito tiveram as culturas de cana-de-açúcar, fumo e algodão. Como atividade auxiliar e secundária, foi praticada a criação de gado.

No tempo, as casas eram de pau-a-pique, sendo substituídas, posteriormente, pelo adôbro. Os artesanatos surgiram para suprir as necessidades de utensílios, vestimentas, instrumental, fiação em roca, a tecelagem manual, a manufatura do couro e a cerâmica.

A agricultura sofreu constantes alterações em função da maior ou menor aceitação dos produtos cultivados. A cana-de-açúcar e o fumo foram cultivados sempre, mas em pequena escala. O cultivo do arroz e do milho entrou em séria concorrência com o café, produto tradicional do município.

A indústria local, de relativa importância, surgiu em 1930, com o aparecimento de uma fundição que se dedicava, inclusive, à produção de engenhos de cana, que tinham aceitação entre os lavradores locais e vizinhos.

O aparecimento do açúcar de Usina trouxe o desinteresse pelos engenhos, provocando o desaparecimento da fundição.

Posteriormente, em 1919, passou a denominar-se AREADO, readquirindo dessa forma a designação anterior com que foi fundada.

II - Origem do Topônimo

A primeira denominação foi Povoado de São Sebastião de Areado, até quando criou-se a vila que recebeu o nome de Vila Gomes. Em 20 de setembro de 1919, teve seu nome trocado para Areado, pela Lei Estadual nº 747.

Desde os tempos coloniais, os descobridores de Minas chamavam de Areado a um lugar plano e arenoso, a beira-rio ou qualquer terreno onde há muita areia fina como em baixada de vales, margem de rio, ribeirão ou córrego. A prosódia vulgar mineira é “ariado”.

Um topônimo indígena Ibycuhy (de Iby “terra” e cuí “pó fino”) corresponde ao nome aresal, porque para o gentio, a terra fina é a mesma areia formada de grãos de terra mineral.

As caravanas de boiadeiros que passavam pela região, aproveitavam a areia fina existente às margens de um córrego para arear os utensílios de cozinha. Este fato deu origem ao nome Areado, como ficou conhecido o local".

Quem nasce em Areado é AREADENSE

Foi elevado à condição de Município somente em 10 de setembro de 1925, pela Lei nº 893, composta de apenas um distrito, o da sede, como é até os dias de hoje.


Texto: Sônia

Fotos: J Araújo

do

Postar um comentário