20 de fevereiro de 2011

>> AMOR E DOR/ DIVORCIO

web
A maioria das pessoas vivem com o objetivo distinto de cada uma, porém, geralmente as mulheres desde muito jovens pensam em casar-se, ter filhos, profissão para realização pessoal mais completa.

Hoje esse perfil começa a modificar-se, primeiro a mulher procura estudar, e conquistar seu lugar dentro do mercado de trabalho. Os motivos são vários, primeiro que atualmente a mulher não quer mais ficar em casa sem atividade rendável. Tornou-se humilhante depender de homem, marido.

Isso tem uma razão: a instabilidade emocional. Normalmente quando casam-se já tem em mente que não dando certo o casamento, simplesmente tudo se resolve na justiça, e agora, mais fácil é só comparecer no cartório onde casou-se e assinar o divórcio. Não precisa mais esperar um longo e massacrante ano.

O divorcio atualmente não tem burocracia; se o casal separar-se consensualmente ( sem brigas ) e ouver acordo entre eles, praticamente não precisa nem de advogado. E a mulher sendo independente, não vai precisar da "pensão alimentícia", que os homens teriam que pagar se ela não tivesse nenhuma fonte de renda. Ponto para a mulher, depender de homem é pior do que ficar livre de piolhos...

Mas aí tem que trabalhar o lado emocional: por mais moderno que isso pareça ser não é tão fácil reaprender a viver sozinhos. Normalmente quem cai em depressão é o homem, as vezes volta para casa dos pais, ou a mulher que não se acostuma a viver só, retorna ao lar materno.

De qualquer forma, é uma droga. O fato de haver separação implica em dor, tristeza, descrença, e até pode complicar mais, necessitando de ajuda psiquiatrica.

Mas perante a Lei, tudo ficou mais fácil.

E se tiver filhos então, é um compromisso para o resto da vida, pois, essa é uma aquisição que não tem troca e nem devolução por defeito de fabricação, vai ter que aguentar o que vier. Mas agora tem também a guarda compartilhada! Quem sai ganhando são os pais, quem perdem são os filhos. Aprendem com um, e desaprendem com o outro depois...

O homem é sempre o primeiro a arrumar outra mulher, diferente da primeira. Daí as referencias que os filhos adquiriram com os pais, vão vagarosamente perdendo com a outra "mãe"(tia não sei que...) É assim que os pais ensinam os filhos a se referirem a sua segunda mulher.

Assim como no mundo animal o macho é o "todo poderoso", na raça humana não muda quase nada; homem é frio, calculista, chegando até a ser torturador emocional. E pior, depois que fez o estrago maior na vida de uma mulher, ainda tem a petulancia de jogar toda culpa em cima do comportamento dela, fazendo-a sentir-se uma cachorra vira lata.

Talvez por isso, o poder Legislativo, Judiciario e Executivo, resolveu facilitar pelo menos o momento do divórcio, para favorecer a mulher, que sempre sai ferida, menosprezada, e culpada. Os homens tem uma mente tão doentia, que são capazes de fazer a vida de mulher um verdadeiro tormento. Mas, como eles são fracos e nem percebem, quando ficarem velhos, vão precisar de quem?? > de uma mulher....Já precisaram de uma para nascer... Quanto ironia.... Como eu gostaria de ser homem por um único dia...

Essa parte do penúltimo parágrafo serve para mim...

A vida é assim...

sonia.
Postar um comentário