15 de fevereiro de 2011

>> H I P O C R I S I A

webHipocrisia é o mesmo que fingimento. É tentar demonstrar um sentimento louvável que não se tem: é o hipócrita.


Como eu queria ter luz, e compreensão para entender atitudes hipócritas; hoje pela manhã meu celular tocou e ao atender identifiquei logo quem estava a me chamar, e recebi a notícia que uma pessoinha tão especial e a qual eu dediquei os últimos 7 meses, acompanhando-o todas as noites, velando seu sono, havia falecido.


Sim, uma vez eu disse para esse ser humano especial, carente de afeto e entendimento, aceitação, "voce é a melhor pessoa que eu conheci, amo voce", e ele, apesar de suas limitações, sua demencia senil, olhou-me, sorriu, pegou minha mão, beijou, e disse: "obrigado, eu também amo voce".


E ele se foi, Deus recolheu seu espírito para o descanso merecido e eterno. E eu chorei, porque sentirei a sua falta, Quantas vezes eu saía para trabalhar e pensava: "Meu Deus, coloca no meu caminho alguém a quem eu possa ser útil". E agora eu entendi: "No momento em que eu sofria a maior humilhação no meu trabalho, um senhor conhecido de minha família, viu meu carro estacionado perto da casa dele.

Esperou eu aparecer para pegar o carro, abordou-me e disse: preciso de alguém para cuidar de meu irmão, tem 63 anos, é especial. Voce pode indicar-me alguém?


Pensei, perguntei o horário, e era para passar a noite, de 20 horas às 8 hs da manhã, e lhe respondi sem pestanejar: eu! eu posso! eu vou!


Fui conhecer meu novo paciente: Um senhor, estatura de um menino de uns 11 anos, portador de Síndrome de Down, epileptico, com início de Mal de Alzaimer, teimoso, e peralta como uma criança.


Agora há 10 dias, alertei a família de que ele tossia muito a noite, estava com sintomas de gripe, e iniciou febrícula, passando a febre após o segundo dia. A pessoa da família responsável a levá-lo ao médico, foi comunicada, mas infelizmente não acreditou que estava começando a ficar doente.


No último domingo, passei a noite colocando compressas frias em sua testa para ajudar a baixar a febre, que agora já estava em 39º C, e a ausculta pulmonar por ouvido mesmo, já dava para perceber um Edema ( popularmente conhecido por água nos pulmões).


Avisei a família a necessidade de levá-lo imediatamente ao hospital, eu já havia alertado no ínicio do quadro febril, há uma semana, isso foi as 8 horas da manhã.


Ele mal conseguia respirar, estava fraco, quase desfalecido. Foram levá-lo perto do meio-dia, e assim que entraram no Pronto Socorro, o médico de plantão já iniciou a entubação, sedação, antibioticoterapia, e UTI.


Infelizmente era tarde demais.


Fui avisada onde seria o velório, e chamei uma amiga para ir comigo, estava com os olhos dilatados pois tinha ido ao oftalmologista e não enxergava para dirigir meu carrinho.


Para meu espanto, todos os seus 10 irmãos estavam lá, sobrinhos, e outros parentes; todos muito bem trajados, e o carro mais pobre que eu vi, foi um HONDA FIT. 2011.


Aquilo não parecia um velório, apenas uma reunião social familiar, regada a conversas e sorrisos, cumprimentos daqui e dali, e o pobrezinho deitado é lógico num caixão desses de convenio funeral, com uma e tão somente coroa de flores.

Notei que estava vestido com uma camisa amarelo clarinho, manchada de café na altura do umbigo.


Que horror! Quanta hipocrisia! Fizeram do velório desse pobre homem um local de encontro familiar, para matar as saudades entre irmãos que só se falam por telefone.


Fiquei ali estática ao lado dele, lembrando das quantas vezes ele brigou comigo para não tomar banho, mas, depois sentindo-se bem, olhava-me e dizia: obrigado.


Lembrei de quantas vezes, dei a ele o café da manhã, alimentando-o como a uma criança que ainda não sabe levar o alimento a boca. E de tantas vezes que ele me pedia para "rezar para Jesus" dizendo: "Salve Jesus, e o Espirito Santo". Amém.


Amém, e Deus abençõe voce, acolha seu espírito no paraíso, e perdoa a impáfia de seus familiares.


Adeus, meu querido amigo Armando.

Voce me ensinou coisas que eu ainda não tinha aprendido em nenhuma escola, em livro algum. Vai ficar guardado em meu coração, e eu lhe digo agora: muito obrigado!



sonia.


Postar um comentário