5 de março de 2010

> Pessoas especiais

arquivo pessoal Todos nós certamente somos especiais para alguém, no nosso trabalho, convívio familiar, vizinhança, filhos, e outras tantas pessoas que as vezes nem imaginamos.

Eu costumos dizer, que pré-julgar alguém é arriscado , pois, se houver sofrimento será para si, o outro julgado as vezes nem sabe que está sendo avaliado.

È assim que eu quero dizer a uma pessoa muito linda e inteligente, que em dezembro de 2006 eu tive a alegria de vê-la entrar na Igreja de mãos dadas com seu querido pai, para casar-se com meu filho.

Talvez ela não soube, mas antes que ela chegasse na Igreja, eu segurei as mãos de meu filho e lhe disse: "Querido filho, até esse momento eu fiz tudo que poderia por voce, éramos só nós dois, mas agora estou entregando sua vida a JESUS, para iluminá-lo nessa nova família que vai constituir dentro de instantes.

Lembre-se do que eu ensinei a voce: sempre quando for tomar uma atitude importante, faça o melhor possível, como gostaria que fizessem para mim, ou para uma irmã se a tivesse. Lembre-se sempre que dentro de instantes, voce vai ligar-se em nome de DEUS a uma filha amada, a qual deverá tratá-la com amor, respeito, consideração. Ela será a sua família junto com os filhos que virão.

O casamento aconteceu, e sempre eu procurei me manter distante dos assuntos deles, para interferir o menos possível na vida de ambos.

Apenas atendi as necessídades que por ventura surgiram e que meu filho recorreu a mim, algumas vezes ele precisou de assistencia à saúde.

Infelizmente, houve um desentimento entre eles, e a esposa dele está pensando que sou o tipo de mãe que aprova desavenças entre casal, e para piorar a situação eu soube que ela leu uma postagem aqui nesse espaço, e deduziu que escrevi para ela, porém, o único tema que envolve o casal tem o título de "APENAS UM DESPERTAR"
Outros textos diversificados não são direcionados a eles, então, quero nesse texto
pedir : desculpe-me se entendeu que posso escrever esse tipo de crítica especialmente sobre família. E que também sempre a respeitei como pessoa a quem meu filho escolheu como esposa, e todos nós estamos sofrendo muito com o desentimento deles, que estão no momento separados.

Assim como o casamente é um momento feliz, querida Eliana, a separação ao contrário é um grande sofrimento, e necessita ser pensada e repensada várias vezes para não cometer um erro, um engano, num momento tumultuado, e que pode refletir numa ferida demorada a cicatrizar, doendo na alma.

DEUS a ilumine, e ao seu marido também.
Postar um comentário