15 de agosto de 2009

> Torre de Babel

Os detentores do poder se reunem para se debruçarem sobre gráficos e estratégias que lhes permitam a continuidade do PODER, garantido-lhes estabilidade, muito dinheiro, status. São homens públicos, que deveriam estar se reunindo para juntos encontrarem uma equação, na qual cada cidadão tenha os seus direitos garantidos e respeitados.

Vejamos: A Saúde Pública é um caos, diante dessa pandemia H1, muitas pessoas que ficaram o ano todo esperando uma cirurgia previamente agendada, recebe um telefonema que a mesma foi cancelada. Simplesmente os hospitais públicos não tem leito suficiente para atender a demanda.

Nosso país não tem estrutura para cuidar de seus doentes, a não ser uma doença de cada vez...

Os hospitais são construídos rapidamente para serem inaugurados em épocas de eleição, sem infra-estrutura adequada e suficiente.

O hospital público de nossa cidade, está equipado com os mais modernos equipamentos para exames de alta complexidade, trabalha com muita eficiencia em politraumatismos, porém, os recursos humanos são insuficientes, há uma grande demanda de pacientes das cidades vizinhas.

A Educação nas Escolas Públicas é uma grande diversão, pois, no Governo anterior, implantou-se "esvaziamento de classes", os alunos mudam de série, tendo aprendido ou não, a avaliação do aproveitamento é precária. Hoje a maioria dos adolescentes escrevem mal, não aprendem nada de ciencias exatas, e não conseguem lá na frente, serem aprovados em vestibulares de Faculdades Públicas.

É nesse sistema de equacionar vantagens para os favorecidos, que se destaca a ascenção de poucos, e a falencia de milhões de trabalhadores desvalorizados, que assistem a diversão política de nossos ilustres eleitos por esse povo.

Estamos assistindo a uma nova Torre de Babel, que segundo a história a primeira não deu certo, ninguém se entendia, e esta nova em andamento irá de esvair em xingamentos, acusações, jogando lixo debaixo do tapete.


Texto: autoria de Sonia Pachelle
Postar um comentário