9 de junho de 2009

> Quem sou eu?

Esclareço aos leitores, que o texto a seguir é colaboração espontânea de meu querido filho.
Eu sou a vingança, o terror daqueles que menosprezam a alma humana, dos ditadores, hipócritas e meus argumentos são válidos, não são em vão; luto por uma causa e isso não me deixa morrer vazio, sou o pânico dos loucos, românticos, não sou bajulador e nem puxa-saco de superiores, pois sou a supremacia, e quem determina o certo e o errado em minha vida sou eu!

Os apontamentos de dedos em minha cara só me fazem crescer, as palavras malditas sobre a minha pessoa sempre volta para quem proferir, eu sou a coerência e não a inconsistência, o fato e não a lenda. Enquanto eles tem dinheiro e sobrevivem para ter mais, eu tenho pouco e vivo melhor com que tenho, enquanto eles pensam que alienam e minha mente ela é livre para voar e não se escraviza por pouco e nem por dinheiro algum, sou incompatível com o falso moralismo, não sou de dar pano para a manga, mas gosto de pegar a manga já feita, minhas acusações não são julgamentos, são apenas palavras que fazem a pessoa se alto julgar, enquanto eles olham no espelho e vêem mentiras, eu olho e sei do que sou capaz, eles se disfarçam de bonzinho, eu sou o cara bom que se quer guerra terá, e se quer paz quero em dobro, eles pensam que são lideres na verdade são escravos da própria arrogância e dinheiro.

Porque na mão deles o dinheiro diz: eu sou seu dono e sem eu você não vive! Enquanto eles pensam que me venceram, minha vitória estava decretada há tempo, eu não crio inimigos, crio adversários, eu não luto pelos fortes, eu luto pelos fracos e sem voz, eu não sou arrogante, sou autoconfiante, eu não sou só mais um, eu sou o Único. Não existe para mim cérebros mais sábios existem cérebros menos preguiçosos, não sou escravo, sou campeão da liberdade e da justiça, e construo um mundo mais pacífico, eu respeito o intelecto de cada um e eles menosprezam cada vez mais, uma mente alienada ainda tem forças para se rebelar, é como uma criança que você nunca Deixa sair de casa, mas quando sai uma única vez nunca mais voltará.

Eu sou o terror dos que oprimem e sou a assombração na vida dos que acham que governam - pois como diria Guy Fawkes, Freedom Forever, " não é o povo que deve temer o governo e sim o governo temer o povo", não são os fracos que devem temer os fortes e sim os fortes temerem os fracos, estes na verdade são os que estão mais preparados para o desafio da vida “


Ricardo Sidney – Analista de Sistemas
Postar um comentário