22 de julho de 2009

> O ciclo da vida

Não pretendo aqui descrever o assunto em destaque, mesmo porque todos nós em pleno Século XXI sabemos como são gerados os filhos. Partindo do principio que a nidação do ovulo no útero materno, foi um milagre de Deus no ventre de Maria. Assim como de todas as mulheres que engravidam se transformam na mais absoluta riqueza ou dádiva celeste, juntando seu ovulo a um espermatozóide invisível, que juntos se multiplicam para formar um novo ser humano lindo e maravilhoso, que irá desfrutar do amor integral dos pais dias e noites por um longo tempo até poder cuidar-se sozinhos.

Isso tudo requer amor, dedicação e muito trabalho sem limites e, quando amadurecem adquire vida própria, independente, formando uma nova família. Os pais envelheceram, com ou sem saúde, somente Deus sabe. Pois é, aí entra o (x) da questão; muitos são os filhos, que por se ausentar diariamente do lar para trabalhar optam por colocar seus pais em “casas de repouso” ou mesmo.... de “Asilo para Idosos”, ou “deposito de Velhos”...

No decorrer da minha vida como adulta, filha e mãe, trabalhando em saúde pública, tenho me deparado com situação no mínimo constrangedora; ou por que não vergonhosa, de instituições que se denominam entidades para idosos, que são verdadeiros chiqueiros; e aí ficam os pais tios, amigos e conhecidos. São idosos que não tiveram a sorte de poder contar com cuidados dentro da própria família; abandonados no seu infortúnio são submetidos a maus tratos, constrangimentos, às vezes até as agressões físicas e psicológicas.

Penso que as famílias menos favorecidas poderiam conciliar horários e responsabilidades aos demais membros que ainda não trabalham, a participar dos cuidados necessários, auxiliando-os com seus idosos. As famílias que pudessem arcar financeiramente com cuida dores pagos dessem preferência para que se faça isso dentro do próprio lar, ou seja, com pessoas cuidadoras da própria família. Que poderão partilhar a rotina dos seus familiares. Isso não custa muito, talvez apenas a redução de gastos com algumas mordomias sem as quais todos poderão continuar a viver.

Refiro-me ao inicio do texto agora, para lembrar que hoje, esses idosos dedicaram energia e amor suficiente para transformar os filhos em pessoas saudáveis, decentes, educados e vitoriosos em todos os seus caminhos na idade adulta. Devemos, portanto, reavaliar nossas vidas, conciliar e sacrificar algumas horas de atenção para nossos idosos. Eles merecem, fizeram a parte deles. É necessário recordar quanto trabalho requere cuidados com um filho desde o seu nascimento. São varias noites mal dormidas, demanda de vacinas e medicamentos indispensáveis, escolha de roupas adequadas, alimentação saudável, livros e cadernos na idade escolar; educadores de esporte e lazer.

Essa é a continuidade da vida!!
Postar um comentário