20 de julho de 2009

Pobre é bandido?

Costumo dizer que cadeia é para os três ‘Pees', pobres puta e preto, a bem da verdade, o que as pessoas pensam é que são eles os ladrões do nosso país. Aí é que está o equivoco, não são eles, os pobres os pretos e as putas, esses são os menos favorecidos de uma sociedade desigual, que por motivos da pobreza e/ou necessidade transgride as leis e cometem pequenos delitos. É um pai de família que arrisca a pegar alguma coisa a mais no supermercado e tentar sair meio de bobo com aquela coisa, muitas vezes, biscoitos, carnes, entre outros mais baratos que já lhe é um sacrifício pagar.

Daí o coitado é ‘pego’ e paga maior “mico” isso quando tem dinheiro suficiente> sabe o que acontece? O segurança do supermercado leva-o para uma sala onde está o ‘gerentão’ do setor não menos ‘espertinho’, e junta certo numero de empregados, que batem palmas e o chama seguidamente de ladrão! Ladrão!”humilhado no extremo de sua alma e ferida elas dificuldades de ganhar um salário de fome, mal dá para sustentar mulher e filhos, vai embora, com certeza lagrimas de vergonha banhando-lhe a face.

Pior ainda se a revolta tomar conta do seu intimo ferido e cometer delito pior. Pior? Sim, ele poderá se tornar um desses “aviões” e levar drogas para um cara ‘rico’, bem vestido, que faz uso do mesmo para melhorar seu stress, pois é diretor comercial de empresa, talvez até um supermercado. Gente! Presta atenção. Ladrão está nas nossas vistas, e tem nome importante. É a maioria dos senhores políticos, salvo raras exceções, eleitos pelo povo, Sarney, Collor, Roseana Sarney, Edmar Moreira (aquele do castelo de 25 milhões de reais) e tantos outros. Não estou dizendo que eles roubaram quem sou eu, são pessoas que nasceram com mais sorte que os outros, são os privilegiados do poder.

Viram o Presidente Lulla, abraçado calorosamente com o mais L. do país: Fernando Collor de Mello, que em 1986, confiscou todas as aplicações financeiras e de cadernetas de poupança, deixando milhões de brasileiros na miséria, perderam casas, carros ate a dignidade. Na época da quebra do Banco Santo segundo levantamento o hoje presidente do Senado José Sarney, conseguiu um dia antes sacar mais de 2 milhões de reais. Assim mesmo era dinheiro que até hoje não teve a origem explicada. Não disse que são pessoas de sorte.

Aqui em nossa cidade, cada dia, tem aumentado consideravelmente os moradores de rua. Não devemos, nem podemos criticar como vamos saber o que levou essa criatura a morar na rua. Isolados da família, só resta a eles pedir esmolas, limpar pára-brisa de carros nos semáforos para ganhar umas moedas, ainda tem aqueles que por não suportar o frio, a fome, a falta de um teto se alcooliza ou se drogam, furtando as pessoas e ferindo-as muitas vezes. Cada vez que um ser humano, vai parar na rua, e esta se torna sua moradia, pode crer que alguma coisa grave o levou à sarjeta.

Os Governantes precisam investir num programa social para acolher essas pessoas menos favorecidas, oferecer um trabalho digno, salário, facilitar aquisição de moradia, ao invés de contratar empresas terceirizadas para as quais pagam uma verdadeira fortuna, e nem sempre elas cumprem os contratos.

Prestem atenção na assistência social autoridades políticas, pois, dá para se fazer muita coisa; mas reduzir o (trem da alegria), diminuir os cargos comissionados, colocações de homens de confiança, nomeações para inglês ver, e usar todo esse dinheiro esbanjado que na verdade se trata de “verba”, em prol da sociedade.

Esse é um caminho para diminuir a criminalidade, o tráfico de drogas, e outros delitos decorrentes, afinal é para essa e outras coisas favoráveis ao povo que nós eleitores colocamos os senhores aí para ganhar bem e trabalhar.
Agora se não querem fazer nada disso, porque é preocupação demais, pega a pasta e vai embora da cidade, do Estado, embarca para o exterior numa “tournée” magnífica, e cede seus lugares para os administradores, sociólogos, psicólogos e empresários tomarem conta do Serviço Público, que os senhores não querem administrar.

Por favor, tome atento, o povo está cansado, os pobres estão morrendo a míngua, e tem estudantes de medicina filhinho de papai, ateando fogo em andarilho, e declarando a imprensa que eles não fazem diferença na sociedade.
Postar um comentário